Pages

26 de jun de 2010

SÓ SAUDADES TUAS


Só saudade


Senti o chão abrir aos meus pés.

Balancei, como se num convés.


Fiquei só ao relento.

O sonho, morrendo lento.

Seu amor tinha acabado.


Você tinha partido.

Tudo havia esquecido,

e não tinha avisado.


E por isso,

tanto tempo fiquei...

E esperei...


Até meu coração sentir

tudo ruir...

E só a saudade ficar.


Silvia Munhoz

SE VC SOUBESSE NÃO ME TRATARIA ASSIM

E VC SOUBESSE:

Se você soubesse...

 

Eu passaria noites e dias

escrevendo...só pra você,

pra mantê-lo mais perto

...é um meio incerto...

mas é o que tenho.

               

E por isso venho...

Estou aqui.

Procuro palavras,

coisas e fatos,

que nos meus relatos

to façam sonhar.

           

Que não o deixem

esquecer a doce magia

que nasceu um dia,

 num simples teclar.

   

Se você soubesse ler

o que tento dizer,

viria sem medo,

em passos espertos,

pra estes braços abertos

que tanto desejam você.

           

Silvia Munhoz

03/01/2001

BANCO DOS RÉUS NÃO ME JULGUE TUDO QUE FIZ FOI POR GOSTAR DE VC :DÉA


 
Banco dos réus
Você, agora, é um réu,
tudo o que disser...não adianta,
um júri não perdoa...é cruel.
Foi acusado de seduzir um coração,
fazendo-o bater mais forte
no compasso de uma paixão.
Foi acusado de manipular na essência
 uma  pobre alma carente,
sem um mínimo de complacência.
Foi acusado de roubar a paz
de alguém que acreditou
 nesse seu amor fugaz.
Foi acusado de ferir sentimentos
prevalecendo-se da astúcia de sedutor
...mas de poucos envolvimentos.
Pelos seus crimes está sendo julgado,
 e, quem sabe, pela justiça,
você seja duramente condenado.
Não havendo nada mais a ser dito...
fique em pé e receba sua sentença,
  acaba de chegar  seu veredicto:
"De todos esses crimes que cometeu,
você foi estranhamente perdoado
porque, da queixa, a vítima se arrependeu."
 

MEU AMIGO ,MEU AMOR


MEU AMIGO, MEU AMOR

 

Meu amigo, por favor, não fales,
nem desse amor me dê detalhes.
Esse amor, que por certo, não é meu.
E sentes por alguém, que não sou eu.


Meu amigo, por favor, não digas
quantas vezes a beijaste,
nem me fales das intrigas,
que, às vezes, provocaste.


Poupa-me desse vil castigo,
de não tê-lo aqui comigo,
de levar a minha vida a esmo
por não poder fazer-te o mesmo.


Meu amigo, por favor, não comentes
o quanto tu a amas e o que sentes.
Fazes-me padecer, assim, em vida
por esta chama não correspondida.


Meu amigo, por favor, entendas
que os quero muito, mas muito felizes.
Ao mesmo tempo, compreendas,
que me machucas, a cada frase que dizes.


Sei que não tens essa culpa.
Eu é que te peço desculpa,
por quebrar um acordo feito:
seríamos apenas amigos do peito.


Meu amigo, por favor, não rias
deste coração desleal que me traiu.
Criando sonhos e fantasias,
por alguém que nunca me viu.


E transformou levianamente 
o que deveria ser apenas amizade,
nesse meu amor inconseqüente,
que viverá na eternidade.

HOMÍCÍDÍO


Homicídio

Fechem minha boca...
porque quero  gritar teu nome.

Tapem meus ouvidos...
porque quero te ouvir.

Cubram meus olhos...
porque quero te  ver.

Amarrem minhas mãos...
porque quero te  tocar.

Prendam meus pés...
porque quero te encontrar.

Contenham meu corpo...
porque quero te entregar.

Transpassem meu coração...
porque quero te amar.

Arranquem, por fim,
 minha alma...
porque já não serei mais eu.

Silvia Munhoz

QUANDO TU ME QUISERES


 
Quando me quiseres
Silvia Munhoz


Calço meus sapatos, fecho a minha mala.
Pouca coisa para levar, quase tudo para ficar.
Lembranças eu não quero; vivências que eu supero.
Vou com muita certeza, não admito estranheza 
daqueles que não me amaram.
Quero a vida que não tive, nesse tempo todo que estive
 tão próxima do anonimato.
Serei feliz, do meu jeito,  sem toda essa dor dentro do peito
 na espera inútil de findar.
Ouvirei de longe o seu chamado  e, com os olhos bem fechados,
 seguirei meu coração.
Todos os passos eu darei, como sempre imaginei...
em sua direção.


 27/12/2000

Que falta você me faz!

Que falta você me faz!
        Silvia Munhoz

No dia que amanhece,
na noite que chega...
Que falta você me faz!

Na lembrança que volta,
na saudade que aperta...
Que falta você me faz!

Na lágrima que corre,
no lenço que a seca...
Que falta você me faz!

No coração que só bate,
no desejo que teima...
Que falta você me faz!

Nas noites que passo acordada,
nos dias em que fico calada...
Que falta você me faz!

Na sua demora em voltar,
no seu silêncio de morte...
Que falta você me faz!
Que falta!
                  28
        Silvia Munhoz

No dia que amanhece,
na noite que chega...
Que falta você me faz!

Na lembrança que volta,
na saudade que aperta...
Que falta você me faz!

Na lágrima que corre,
no lenço que a seca...
Que falta você me faz!

No coração que só bate,
no desejo que teima...
Que falta você me faz!

Nas noites que passo acordada,
nos dias em que fico calada...
Que falta você me faz!

Na sua demora em voltar,
no seu silêncio de morte...
Que falta você me faz!
Que falta!
                  28

SERA QUE UM DIA VC PODERA ME DIZER ONDE ERREI COM VC OU SERA QUE FOI VC QUEM ERROU COMIGO???


Onde errei?

          
Não entendo! Puxa! Onde foi que eu errei?!
Eu realmente ainda não sei.
Pensei que eu tivesse te cativado!
Mas vejo, agora, que estou todo enrolado.
Desconfio que talvez eu esteja te amando.
E isso está me matando.

          
Tenho ficado te esperando um tempão.
E quase todas as vezes tem sido em vão.
Não quero pensar bobagens,
mas parece que você está só de passagem.
Eu preciso de mais, eu preciso que fique,
que sua estada, comigo, se estique.

          
Preciso de você sempre ao meu lado
para todo e qualquer recado,
que o meu coração queira te dar,
nessa minha forma doida de te amar.
Preocupam-me, demais, suas ausências,
elas só fazem aumentar minhas carências.

          
Pensei que seria fácil te cativar,
mas foi muito mais fácil te amar.
Por favor, me diga, a qualquer hora,
que você jamais pensou em ir embora.
E, se não for assim, exatamente,
diga onde errei...não quero sofrer novamente.

          
Silvia Munhoz

Tive medo

É pena...

Tive medo

   

  Tive medo do teu olhar...
 mas me deixei ver...por dentro e por fora...
   porque tive medo que tu fosses embora.

  

Tive medo das tuas mãos...
 mas me deixei tocar...precisava te sentir...
       porque tive medo, tu poderias não existir.

  

Tive medo dos teus lábios...
mas me deixei beijar...nas mãos, no rosto...
porque tive medo de nunca sentir esse gosto.


  Tive medo dos teus braços...
mas me deixei te abraçar...num abraço quente...
 porque tive medo de te perder de repente.


Tive medo dos teus apelos de amor ...
mas me deixei te ouvir...toda eu, te escutei...
porque tive medo, precisava do que sonhei. 


Tive medo dos nossos sentimentos...
Mas me deixei entregar...sem nenhum pudor...
porque tive medo de não viver um grande amor.

É pena...


É pena...

Pena...que para se saber
o valor de um olhar
seja preciso que ele deixe
de, assim, nos observar.

Pena...que para se saber
 o valor de um carinho
seja preciso que tenhamos
ficado sozinhos.

Pena...que para se saber
o valor de um beijo
seja preciso que não tenhamos
mais com quem dividir o desejo.

Pena...que para se saber
o valor de um abraço
seja preciso que deixemos
de ser donos desse espaço.

Pena...que para se saber
o valor de uma pele quente
seja preciso que fiquemos
 sem esse alguém de repente.

Pena...que pra se saber
o valor de uma grande paixão
seja preciso que a percamos
...por conta da razão.

O que se vê


Olhando essa mão espalmada,

 vê-se uma aliança de ouro,

quase sem brilho, surrada.


Nessa mão que trabalha,

há muito, cansada, nem sequer atrapalha.

Foram momentos felizes

de um passado distante.


Hoje, nessa mão, mesmo fechada,

o que se vê são cicatrizes,

refletidas a todo instante.


Por uma vida a quatro paredes,

tendo o mundo todo lá fora,

deixou que o tempo passasse,

que de tudo se encarregasse.


Acreditou em destino.Viveu, simplesmente...

Mero desatino!


O tempo passou, o coração calejou.

Nenhum sonho sobrou.


Olhando essa mão espalmada,

 vê-se uma aliança, bem colocada,

e não se vê o coração

dessa vida, desacreditada!

PARE

PARE!

Pare!

Pare tudo!

(Grito mudo)

Vou descer.

Espairecer.

Já resolvi.

Eu decidi.

Sou invisível.

Parece incrível!

Mas é verdade.

Que maldade!

Tudo inútil.

Mundo fútil!

Sem paixão.

Nem emoção.

Tudo calculado.

Esquematizado.

Daria certo.

Bem esperto!

Mas, uma falha.

Que me valha!

A alma me resta.

E não se presta.

Estou saindo.

Vou sorrindo.

Driblei a vida!

O COLECIONADOR

Colecionador Procuro alguém bastante carente, que não tenha esperanças na mente. Procuro alguém que esteja totalmente vulnerável, e que seja um miserável...do amor. Procuro alguém que esteja sozinho, que precise urgente de carinho. Procuro alguém que seja tolo o bastante pra ter-me como amante. Procuro alguém que se dê totalmente e que me ame cegamente. Procuro alguém que já esteja calejado por amar sem ser amado. Procuro alguém pra satisfazer meu ego, porque só assim eu sossego. Sou um colecionador de sentimentos, em busca de um novo envolvimento. Alguém se candidata? A vaga...é imediata!

Direitos e Defeitos

Direitos e Defeitos Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Proporcionando a você bons e ruins momentos, ela ainda crê merecer seus sentimentos. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Foram longos anos de jornada.Sóis e chuvas já passados, nessa dura caminhada, entre dois seres casados. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Viveram duros momentos, sempre tudo em conjunto, entremeados de sentimentos, ou não estariam mais juntos. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Numa palavra mal falada, em suas atitudes não feitas, pode até parecer alienada, e não, só não é perfeita. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Sentindo-se ameaçada,não querendo seu ninho expor, esbraveja, confusa e assustada, defendendo-se, por amor. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Direito de chegar ao limite dessa vida com você. Direito ao seu amor, se me permite, só você é que não vê. Mesmo com muitos defeitos, ela tem os seus direitos. Silvia Munhoz 01/08/2000

DECEPÇÕES

Decepção Decepções... quem não as têm? Elas vão e vêm. Pequenas ou grandes, às vezes previstas, mas ignoradas por anseios que são maiores. Nem sempre são das piores. Você me decepcionou. Antes, me emocionou. Sonhei - você me levou a isso. Amei-o, num jogo de sedução sem compromisso. Você foi uma mentira, que não leva a minha ira. Eu o amei de verdade. Vivi da possibilidade. Deixei meu coração se abrir, na tentativa de o conseguir. Havia uma pequena chance, um único lance, e eu perdi.e Decepção... Silvia Munhoz

EU QUERIA SER

Eu queria ser Eu queria ser essas mãos que tocam teu corpo suado. Eu queria ser essa boca que te beija em delírio. Eu queria ser esses olhos que te vêem apaixonado. Eu queria ser esse nariz que sente teu cheiro no ar. Eu queria ser esses ouvidos que escutam teus gemidos. Eu queria ser esses braços que te enlaçam e te apertam. Eu queria ser esse corpo nu que, colado ao teu, sente teu calor e se entrega entorpecido, alucinado. Eu queria ser essa mulher que depois repousa ao teu lado, extasiada pelo prazer de ser amada. Silvia Munhoz Direitos autorais reservados

VC QUIS ASSIM

Você quis assim... Éramos felizes os dois... Tínhamos amor um pelo outro, mesmo a distância. Um amor tão grande, que o resto do mundo não tinha mais importância. Um amor intenso, que superava o não se ver, o não se tocar... Porém tinha, ao menos, o se falar. As horas de espera eram contadas. Os minutos, somados um a um, até que não restasse nenhum. Felizes, trocávamos experiências e confidências... Quantas juras de amor! Pensávamos alto, pensávamos longe, mas nunca na dor. Tínhamos muitos sonhos a realizar, de algum modo, algum dia... Sonhos só nossos, sonhos repletos de magia. Magia do amor, da confiança, da cumplicidade, da esperança... Mas, de repente, veio você, não sei de onde, nem porquê, com idéia fixa de marcar dia e hora para conversar. Não entendi bem qual a razão. Cedi,era quase uma intimação, sentindo uma dor forte, machucando, bem lá no fundo, meu coração. Fico a contar dias, agora, quando, antes contava apenas as horas. Tenho sentido muita saudade, é tanta, que até parece maldade. Mas mesmo assim tenho vivido, com você aqui, bem dentro de mim, tentando não morrer de saudade. Porque você quis assim. Silvia Munhoz 23/07/2000

EU SEI .... E VC TB SABE

Eu sei e você sabe... Não é preciso dizer, nem esconder, o que vai por dentro. Eu sei e você sabe... E mesmo que se acabe foi bom este momento. Não estava em nossos planos. Cometemos um engano. E é esse o nosso preço. Sentir no gosto da paixão nossa triste condição de ter que renunciar. Não é preciso dizer o quanto isso vai doer. Eu sei e você sabe... Esquecidas as esperanças, viveremos das lembranças, de tão lindos sentimentos. Choraremos com razão, por deixar o coração se envolver dessa maneira. Eu sei e você sabe... que o nosso amor só cabe em nossa imaginação. Silvia Munhoz

EU QUERIA TE FALAR

Eu queria falar... de amor, paixão, carinho, afeto, beijos, abraços, saudades reencontros, alegrias, felicidade, ternura, romance, silêncios, sussurros, entregas, mas até agora eu só falei de você. Silvia Munhoz

TENTATIVAS

Tentativa Percorri caminhos, subi montanhas, busquei novas paragens...Perdi a viagem! Não me libertei de você! Fugia dos próprios sentimentos, e pensei, por um momento, que poderia conseguir. Foi uma grande loucura tentar esquecer o que já fazia parte de todo meu ser. Fortaleceu ainda mais essa paixão. A distância me fez pensar que o que está feito, não tem mais jeito. Não dá pra mudar. A saudade veio...e desejei voltar. Fato consumado! Em mim, tudo está mudado! "Você impregnou minha alma, cabeça e coração" E o que fazer, então?! Silvia Munhoz

TALVEZ

Talvez Talvez eu devesse ficar... Talvez eu devesse lutar... Talvez eu devesse te amar...mais do eu que te amei. Talvez eu devesse insistir... Talvez eu devesse não ir... Talvez eu devesse tentar... fazer você me amar. Talvez eu devesse chorar... Talvez eu devesse sangrar... Talvez eu devesse rasgar... o meu peito em dor. Talvez eu devesse entender... Talvez eu devesse esquecer... Talvez eu devesse aceitar...você não me amar. Talvez eu devesse sorrir... Talvez eu devesse mentir... Talvez eu devesse dizer...você não é meu querer. Talvez eu devesse pedir... Talvez eu devesse gritar... Talvez eu devesse implorar... não me deixe aqui. Talvez eu devesse matar... Talvez eu devesse roubar... Talvez eu devesse morrer... só assim... pra você entender. Talvez eu devesse... Talvez... Silvia Munhoz

DESTINO


Destino


Hoje, nossos caminhos se cruzaram,

por conta desse destino irresponsável,

que tenta reparar um seu erro lastimável.


Permitiu que seguíssemos por rumos diferentes,

quando deveria ter sido

o elo de ligação na vida da gente.


Andamos muito tempo por caminhos opostos,

em busca de um companheiro, quando, na verdade,

éramos as duas partes de um inteiro.


Por isso, nossas vidas foram abafadas

no que de mais belo teriam

se tivessem sido devidamente guiadas.


Sofremos decepções, empobrecemos nossos corações.

Não pudemos nos lapidar. Perdemos nosso brilho,

como a mãe que perde um filho, sem ter com quem lutar.


Mas, o mundo é redondo, e por certo,

sentidos opostos se tocam de perto

no final da jornada.


Nos encontramos, finalmente...

imaginando tudo o que virá pela frente...

se nos deixarem amar!

Só eu e você


Só eu e você
Eu quero acordar de manhã
sem que os meus pensamentos 
se voltem todos pra você.
Eu quero parar diante do espelho
sem ver refletido em meu olhar
um brilho que é só seu.
Eu quero tomar o café da manhã
sem imaginar como seria bom
 poder dividi-lo com você.
Eu quero sair pro trabalho
sem olhar pra trás e constatar
que você não está aqui.
Eu quero passar o dia sorrindo,
sem ter que me esconder
por chorar de saudades.
Eu quero parar de acreditar
que ao voltar pra casa
o encontre  em nossa cama.
Eu quero parar de sonhar
que você vai voltar sorrindo
pra dizer que ainda me ama.
Eu quero parar de lembrar,
 a todo momento, que um dia 
já fomos... só eu e você.
Ah, vida...

Ah...vida, o que me fizeste?!
Tiraste-me a paz!
De mim, já não sou capaz.
...Arrasto-me.
Ah...vida, o que  me fizeste?!
Minha alma, agora, estremece.
Quisera eu pudesse
sanar esta dor.
Ah...vida, o que  me fizeste?!
Meu coração se esfacela
tomado por seqüelas
que são profundas demais.
Ah...vida, o que me fizeste?!
A razão, eu perdi.
E o que consegui?
...A mutilação.
Ah...vida, o que  me fizeste?!
Um amor tão verdadeiro e incrível!
 Tu não avisaste ...ele era impossível.
...Eu não percebi.

Silvia Munhoz

ACREDITAR

Acreditar
Silvia Munhoz

Senti uma brisa no rosto, que tinha teu gosto.

Passou bem de leve, foi muito breve, 

meu coração afagou.

Senti uma gota de chuva percorrer minha face,

deixando-me num impasse, se...lágrima de amor.

Senti um arrepio no corpo, pedindo conforto,

querendo teu calor.

Senti o coração apertado pulsar disparado,

tentando saltar.

Estranha sensação acalentou o coração,

fazendo-me sonhar!

Senti minha boca sorrir e, os lábios, abrir,

querendo te beijar.

Senti que era pouco  e delirei como louco,

pensando te tocar.

Tendo-te, então, com imensa paixão.

Como foi bom acreditar!

DEUS E O DÍABO LUTANDO POR MIM

Deus e o Diabo lutando por mim II

As vezes não acredito nas coisas que a gente faz
as vezes expressamos Cristo e as vezes a Satanás
as vezes sou inocente as vezes tão pecador
as vezes estou tão carente e em outras cheio de amor
as vezes abençoamos e as vezes maldizemos
as vezes praguejamos e as vezes bendizemos 
as vezes agradeço e em outras vezes lamento
as vezes eu caio e as vezes me levanto
as vezes eu choro em outras eu canto
as vezes peço desculpas e as vezes não me arrependo
as vezes grito tão alto mas as vezes ninguém me escuta
as vezes sou lapidado e em outras sou pedra bruta
as vezes sou ferro e as vezes sou diamante
as vezes tão firme e em outras tão inconstante
as vezes não compreendo e em outras incompreendido
as vezes eu sei o caminho e as vezes me sinto perdido
as vezes ando sozinho e em outras acompanhado
as vezes eu sei de tudo em outras nada compreendo
as vezes eu fico mudo e em outras vezes eu falo
as vezes sou tímido mas as vezes tão assanhado
as vezes sorrio pra vida e as vezes dela me esquivo
as vezes sou pessimista e em outras sou positivo
as vezes sou um lago em outras sou oceano
as vezes estou certo e as vezes eu me engano
as vezes sou pura mente e as vezes sou emoção
as vezes sou consciência e em outras sou a razão
as vezes choro sozinho no meio da multidão
as vezes o mundo tão grande não preenche meu coração
as vezes sou alegria em outras sou mau humor
as vezes sou paciente em outras sou o doutor
as vezes sou poesia as vezes nem sei quem sou
as vezes sou o mocinho e as vezes sou o vilão
as vezes estou do seu lado as vezes dela me afasto
as vezes sou todo vigor e em outras puro cansaço
as vezes sou forte e em outras fracasso
as vezes traço o caminho e as vezes fico parado
as vezes faço perguntas em outras nada respondo
as vezes eu penso e em outras eu sonho
as vezes sou a favor e as vezes eu me oponho
as vezes sou um juiz e as vezes o acusado
as vezes sou humilde e em outras sou exaltado
as vezes me orgulho em outras eu me nego
as vezes sou um rei e em outras sou um vassalo
as vezes estou tranquilo e em outras tão pertubado
as vezes sou tão aceso mas as vezes eu me apago
as vezes sou agressivo e as vezes tão educado
as vezes tenho inveja em outras sou invejado
as vezes eu sou modelo e as vezes sou impecilho
as vezes sou tão sereno e as vezes indelicado
as vezes sou solidário em outras duro com os filhos
as vezes sou aparência e as vezes realidade
as vezes sou inocência e as vezes pura maldade
as vezes sou desespero e em outras tranquilidade
as vezes sou carinho e em outras estupidez
as vezes promovo a paz e as vezes a violência
as vezes muito sensato e em outras insensatez
as vezes fico irritado e as vezes sou paciência
as vezes não penso no que faço e as vezes penso demais
as vezes penso que posso e em outras me sinto incapaz
as vezes sou conhecido e as vezes não me conheço
as vezes agradecido e em outras não agradeço
as vezes luto com a morte mas as vezes da vida me esqueço
as vezes ando por fé e em outras como um ateu
as vezes sinto-me um nobre e as vezes como um plebeu
as vezes penso nos outros e as vezes só penso em mim
mas sempre vivo um dilema que as vezes penso nunca ter fim
que desde que me conheço por gente sempre foi assim
Deus e o diabo estão sempre lutando por mim.