Pages

16 de fev de 2011

Apenas tu e eu./DEA

Apenas tu e eu. Um tempo que capturei como meu. Uma chama de um amor que arde, renasce e não ardeu. Gosto de capturar pedaços em teu corpo, para te sentir mais perto. O calor que me queima e alimenta, a água em meu deserto. Queria por certo, querer, tentar, prender. Queria apenas ter, a tua forma de ser mulher.

Não digas não, apenas por dizer tentar fazer. O que te mostro, demonstro, está retratado no teu próprio ser. À medida que navego em teu corpo, encontro a resposta no teu gemer. E vejo as quatro letras do amor patentes, no teu sentimento de prazer.

Toca-me.
Sufoca-me,
no teu prazer.
Consome.
Assim me tome.
Faz acontecer.

Apenas tu e eu. Poderia contar mil histórias que o teu toque me faz criar. Podia contar a história do teu beijo, o que segreda ao beijar. Falei com os teus lábios eles me convenceram a te amar. Falei com teus seios, que por entre mil receios decidi tocar. A tua suave pele, não repele tudo o que sinto, digo com vontade e sem medo que isto é tudo o que pinto. No teu corpo sou pintor e quero pintar a melhor tela, aprisionei o meu amor e o teu juntos numa cela. Quero consumir-te neste inferno, neste inferno de amor, em conjunção com prazer, sexo e pouca dor.


que é a sensualidade num mundo sem paixão
O que é o sexo, se não for praticado com o coração
O que é o amor se não existir ninguém para amar
O que é um coração se não existir o vermelho para o pintar
Hoje em dia o amor, é banalizado
Porque foram esquecidas as essências onde foi criado
Sensualidade com amor, mostra paixão
Sensualidade sem amor, é sinônimo de prostituição
É assim que vive toda esta geração
Mentes entupidas com conhecimento corrompido da televisão
Não sou missionário, embora tenha uma missão
Ajudar esta nação, a agir pelo coração
Evitar a confusão e aprender a amar
Sensualidade do amor, é o que nos faz respirar

Lá estava ela novamente, bela e perfeita.../DEA

Lá estava ela novamente,
bela e perfeita,
nunca abandona minha mente.

Lá estava ela, perfeita e sublime,
com uma sensualidade tão intensa
que deveria ser considerada crime.

O seu corpo,
o seu toque,
deixa-me louco,
deixa-me em choque.

Lá estava ela, sensual e provocante,
queria entrar em seu corpo
provocar naquele instante.

Beijei-a,
toquei-a,
e seu gemido soltou,
fui ao céu e voltei,
o prazer comigo ficou.

———————————————-

Vem, provar meu corpo,
saboreia-o como açúcar,
deixa-o molhado,
totalmente derretido…Vem, sente o que o delimita,
descobre o que o excita,
toma-o como se fosse teu,
vem…vem ser meu Romeu…

Descobre tudo, explora até ao infinito,
gostas de meu gemido? Pois bem eu repito,
sou tua, como a gota é do mar,
feita para te mover, excitar e amar…

Vem, sente como estou para ti,
deixa-me ter e ver o que nunca vi,
que visão, que bom invadir teu coração,
que bom o sabor, de uma penetração…

Sabes que tenho minha cama vazia?
Talvez a preenchas um dia…

———————————————–

Sou navegador, teu corpo é o meu mar
Enrolado em tuas linhas, nele me encontro a navegar
Afundo-me em teus olhos, profundos e suspeitos
Produzidos com afinco, sem defeitos, são perfeitos

Estes escondem a magia, as palavras mais bonitas
Pois, as verdadeiras e sentidas, são as que não são ditas
Encantados com brilho, de palavras de amor
Composição perfeita, num jardim de dupla flor

Desço a teus lábios, apetitosos e sufocantes
Banais, mas perfeitos, com mais valor que diamantes
Sufoco com teu beijar, sucessivo e insaciável
Amável, tua saliva em minha é comunicável
Adaptável, agradável, confortável, imensurável
Formidável, inigualável, e no fundo tão desejável
Preso em teu beijar, sinto o sabor do teu amor
Sinto o sabor de seres amada, o arder do teu calor

Desço a teu pescoço, cobrindo-o de carícias
Os teus beijos, os teus gemidos, hoo, pequenas delícias
Navego a teus seios, sedutores e provocadores
Bonitos como flores, tocados com amores

Saboreados, com minha língua, tocados com minha mão
Arrepios sucessivos, bem direitos ao coração
Humm, como são doces, como é bom aqui navegar
Mas, o mar é extenso, e então tenho de continuar

Minha mão, desliza e alisa, tua barriga
Minha boca, solta palavras de amor, por ti rapariga
Paro eu teu umbigo, faço dele uma brincadeira
Tenho-te em pedaços, dando-te prazer por inteira

Exploro tua vagina, de todas as formas de amar
Sinto em teu clitóris, o calor, o seu molhar
Como te deixa confortável, a minha penetração
Como a seta do cúpido, directamente ao coração

Teu corpo no meu, fundidos nesse momento
O gemido, o prazer, no fundo todo o sentimento
A intensidade aumenta, assim como o entusiasmo
Teu corpo arqueia, enquanto atinges o orgasmo

O meu estremece, com um prazer imenso
Durante longos segundos, o prazer é intenso
Eu penso, se me encontro no chão, ou estarei suspenso
Porque eu levito, no céu denso e extenso

Acabado, o prazer não acaba o sabor
Abraçado ao teu lado, jorrando palavras de amor
Tu adormeces, agarrada a mim a sorrir
E eu em vez de te acompanhar, fico a pé, para te ver dormir

Eu amo-te, eu quero-te, e desejo-te para a eternidade
A nossa amizade, o nosso amor, felicidade, liberdade
Vontade, ansiedade, resumida em saudade
Conformidade, no acto de dizer, que te amo de verdade.

—————————————–

Hoje acordei, com uma sede insaciável
Não de água, mas de ti e do teu corpo
Preciso,
Necessito,
Que me rasgues a pele, ou que me toques suave,
Preciso,
Que beijes meus lábios, num novo encontro,
Preciso,
Ver teus olhos brilhar, piscar e reluzir
Ver de novo, esse sorriso, que amo, e me faz sorrir

Por isso vem, pois eu sinto-te a cada momento,
Não precisas de fazer loucuras, sê apenas minha no momento
Eu e tu, princesa e príncipe, sem castelo encantado
Juntos num sonho, que lutamos para se manter na realidade
Lutarei,
Lutarás,
E só assim poderemos vencer,
Porque um amor assim, é perfeito demais, para morrer.

—————————————————

Vivo um efeito borboleta, minha vida é uma recordação
Vejo flashes mentais, tira-teimas da televisão
Não sou reflexo de nada, sou com um fantasma perdido
Para muitos sou a morte, para outros sou o sentido
Quando te vejo, leve, vindo até mim despercebida
Sei que és tu, tu que quero para me completar nesta vida
Deitado no meu mundo, só te sinto, com o vento a passar
Passas diante a mim, e só eu tenho capacidade de te parar
Por entre os lençóis, sinto teu corpo transpirar
Sinto teus pêlos, levantar, sinto meu corpo vacilar
Não tenho reacção, agora és tu a controlar
És tu que me agarras, quando eu tento respirar
Quando me beijas, eu procuro te beijar novamente
Descobrindo nos teus lábios, o amor de muita gente
Desço em teu pescoço, sinto todo o teu arrepio
Algo tão forte que abala qualquer gemido, fica sem pio
Desço mais um pouco, o desejo transforma-se em sedução
Conjugada com amor, no sexo mostra a sua ascensão
Tocas meu corpo, bem forte preparado só para ti
Horas gastas em ginásio, esperando que olhes para mim
O calor espalha o suor, o ambiente traz o amor
Corpo mexe no movimento, trocando sangue por vapor
Oiço teu gemido, que me dá forças para continuar
Toco o teu céu, que sempre anseei por visitar
Apogeu do prazer, chegou o momento da união
Ambos subimos ao céu, é o prazer na sua conjunção
Nunca senti algo tão puro, ou algo tão especial
Fico contente por saber que sou o escolhido e o tal
De seguida, sinto teu corpo no meu, desvanecer
Não sei que se passa, apenas rezo para não te perder
Já não consigo te agarrar, agora voas com o vento
Quem me dera te guardar, mas falta-me o alento
De manhã acordo, em mais um dia cinzento
Vejo tudo ao meu redor, juntando o que invento
Sonhador, nada do que vivi foi realidade
Ou será que foi? Não sei, mas fica a saudade

Novamente te vejo ,e te desejo /DEA


Novamente te vejo, esse ser que invejo
O teu toque teu beijo, meu pequeno desejo
Tua voz trémula,
invenção mais que efémera.

“Agora quero que venhas, que me toques e que me tenhas, me sufoques, me invoques como tua, quero ter-te e levar-te à lua, quero comer-te e deixar-te nua, quero a morte e a vida, provocar e sarar ferida, quero…”

Assim eu fico, ouvindo seu belo grito
Inédito e infinito assim me encontro aflito
Corto o céu para te dar a lua
Dou tudo e torno-me réu para poder ter-te nua!

“Hooo sim, tu sabes o que me move, traz o teu corpo que me comove, meu prazer infinito, transforma este gemer num grito, faz-me enlouquecer!”

Assim ficamos, na cama onde nos deitamos
Num jogo de prazer que nós próprios inventamos

“Sim por favor, faz-me explodir, tão bem que te sinto, que bom é te sentir!”

OBJETO...../DEA


Objeto

Jenário de Fátima


Faça de mim aquilo que quiseres.
Sacie sua carne, seus desejos.
Sua intenção seja qual lá tiveres,
Minha hora é submissa a seus ensejos.

Mas por favor, aquilo que me deres,
Não conte a seus amores andarejos.
Não sabes nunca o quanto que me feres,
Sair contando a todos de meus beijos.

Sei que de seu amor sou dependente.
E a esta inquietude eu não me nego.
Pois quando quis fugir vi claramente.

Que quando mais fugia, menos me encontrava
E a fuga tornava meu olhar tão cego,
Que mais dependente deste amor ficava...

Disfarce.../DEA


Disfarce

Jenário de Fátima

Quisera amar!... Amar perdidamente.
De novo sentir o gosto da paixão.
Ver agitar, pulsar meu coração,
Me embriagar de amor completamente.

Quisera ter de novo tal presente.
Não apenas tolas e simples ilusões,
Destas que trazem as vezes emoções,
Mas logo vão-se aos corações da gente.

Eu já soube um dia o que é gostar assim.
Mas este amor se foi e desertou de mim,
Deixando-me um abrigo tão profundo

Que pra escalá-lo alguma coisa invento,
Como isso de dizer a cada momento,
"Te amo" "Te gosto" a quase todo mundo.

DORES DE AMOR ..../DEA

Dores de Amor

Jenário de Fátima

Dores de amor é mal que não se evita,
Que não se corta, mal que não se doma.
Quando acontece, rouba, furta, toma
Toda alegria que num peito habita.

A partir dele tudo se conflita.
Tudo embolora, tudo perde o aroma.
Um mal que chega e ao primeiro sintoma
Um caos se desmorona n´alma aflita

Somente o tempo a este mal dá cura,
Mas entrementes, cola em nossos traços,
Profundas rugas, marcas da tortura,

De quando a dor delimitava espaços,
E quando sai deixa a triste figura,
De muitos sonhos feitos aos pedaços.

©Jenário de Fatima

PRAZER SACIADO /DEA




PRAZER SACIADO

Marcial Salaverry



Beijos com dengos, sem mais
o fogo da paixão...
Prazer saciado... corpo cansado,
mas a mesma emoção.



Beijos depois do prazer...
são beijos de real amor...
trazem de volta o carinho,
trazem de volta o calor...


Entre um e outro beijo,
um afago mais ousado,
vem o tesão devagarinho,
reanimando o corpo amado.


Beijos depois do prazer,
carícias mais ternas,
o amor se faz presente,
tornando as delícias eternas.


Prolongamento do ato de amor,
esses beijos depois do prazer,
sempre são mais doces,
pois fazem tudo reviver.


Querida... vamos de novo...
nos beijar... nos amar...
vamos só permanecer nessa delícia
de sempre recomeçar...

Bicho do Amor (erótico)>>>>DE CANDIDO/DEA

Bicho do Amor (erótico)

De Cândido

Do outro lado da bunda

Entre o matagal espesso

Vive um bichinho travesso

Onde a lasciva se afunda

Mas há caçador esperto

Que roça esse matagal

E deixa o animal

Indefeso e a descoberto.

E também há caçador

Que caça o bicho do amor

Mas não come, é só pra ver.

Eu caço de emboscada

E cozinho a bicharada

Pois gosto de a comer.

Cândido, 01/02/2008

O Mar de Tuas Mãos/DEA


O Mar de Tuas Mãos


(Marici Bross)



O mar avança
suavemente, sobre a areia
E você suavemente
sobre meu corpo

Corpo que exala paixão
E de tuas mãos, ávidas
carinhosas a me percorrer

A lua continua linda,
Não ofereço resistência
mas estremeço a teu toque

Mãos que afagam
num frenesi ardente
levando-me a explosão
total de sentimentos

PRAZER SAÇIADO /DEA


Beijos com dengos, sem mais
o fogo da paixão...
Prazer saciado... corpo cansado,
mas a mesma emoção.



Beijos depois do prazer...
são beijos de real amor...
trazem de volta o carinho,
trazem de volta o calor...


Entre um e outro beijo,
um afago mais ousado,
vem o tesão devagarinho,
reanimando o corpo amado.


Beijos depois do prazer,
carícias mais ternas,
o amor se faz presente,
tornando as delícias eternas.


Prolongamento do ato de amor,
esses beijos depois do prazer,
sempre são mais doces,
pois fazem tudo reviver.


Querida... vamos de novo...
nos beijar... nos amar...
vamos só permanecer nessa delícia
de sempre recomeçar...