Pages

4 de out de 2010

um casamento ,UM ERRO : DÉA ROS

Assim que eu e meu marido nos casamos, costumávamos deixar bilhetinhos um para o outro.
Eu o chamava de "lindinho" e ele a mim, de "anjo".
Os bilhetinhos eram mais ou menos assim: "Amor, acabou o pão. Te amo, Anjo" e eu sempre assinava com um desenho de um anjinho com asa, auréola acima da cabeça e com uma carinha sempre sorridente.
Os dele eram assim: "Sou mais feliz porque você existe na minha vida. Lindinho."
"Sem você, minha vida não faz sentido", e por aí vai...
O tempo foi passando e os bilhetinhos rareando, cada vez mais.
Passamos dificuldades, crises, algumas coisas não saíram bem como tínhamos previsto.
Chegamos a pensar por um momento que a melhor solução fosse uma separação.
Mas dizem que depois de uma tempestade, sempre vem a bonança.
Quando a tempestade passa, é hora de tirar a água de dentro do barco.
É hora de avaliar os danos, as avarias.
É hora de trabalhar.
Comecei a analisar nosso relacionamento e uma sensação de tranquilidade encheu meu coração.
Não é por que não deixamos mais bilhetinhos um para o outro, que o carinho, a atenção e o amor diminuíram.
Pelo contrário, aumentou. 
O demonstrar carinho e preocupação, atenção e amor para com o outro, absolutamente independe de palavras, sejam elas escritas ou ditas.
Ações falam mais que palavras.
Pelas ações, as palavras tomam forma.
E as ações se tornam palavras palpáveis.
O foco não é só o casamento, mas todos os tipos de relacionamentos humanos.
Você pode dizer "eu te amo" todos os dias, mas seu coração ser distante.
As palavras saem automaticamente, como uma reza sem propósito.
Você pode não dizer "eu te amo" todos os dias, mas em seu coração, todos os dias, bate um sentimento tão forte, que nada no mundo é capaz de deter o seu amor.
Um bilhetinho de amor não precisa ser escrito em um pedaço de papel.
Ele pode se materializar na forma de um abraço, de um beijo, de um carinho especial,
de atenção (ouvir também é manifestar amor).
Quando falamos de amor, quase sempre as palavras pecam por não poder expressá-lo em sua plenitude.
Por isso, existe a vida...dia após dia aprendemos mais, sentimos mais, mudamos mais.
O amor é um presente.
Muitos apenas ganham o presente. 
Outros, o acolhem na alma. 
Esses são mais felizes que aqueles.

:DÉA ROS

CAFAGESTE MAS TE ADORO:DÉA


Resolvi procurar no Google o significado da palavra "cafajeste", já que muitos homens se intitulam "cafajestes bacanas". Encontrei a seguinte definição (por cima): cafajeste - homem que curte a solteirice sem querer compromisso com ninguém... 

O significado de "bacana" eu não precisei procurar. Eu sei. Entre outros, pode-se dizer que uma pessoa é bacana quando ela é legal com a gente, quando nos trata bem.

Resumindo, quando um homem chama para si o título de "cafajeste bacana", realmente não fica devendo nada. É exatamente isso.
Um homem solteiro que quer curtir a vida sem ter mais compromisso com ninguém.

E eu - sinceramente - fico me perguntando... e a mulher? Existe mulher cafajeste? Eu, por exemplo, sou uma mulher bacana. Questiono então o que viria a ser um "compromisso". Seria "um não trair o outro"?! Porque se for, eu assumi um compromisso desse tipo há vários meses atrás. Um homem envolvido com uma mulher a trairia? Mas se ele é um cafajeste bacana, o fato de trair em si mesmo não significa nada, porque o que interessa mesmo é a sua satisfação, afinal de contas não existe compromisso, apenas o desejo frenético de viver a vida, ou que ainda resta dela.

A traindo, lhe contaria?
Na cabeça dele, seria traição?
Como não trair quem não consideramos parte integrante da nossa vida?
Esses questionamentos todos passam pela minha cabeça...

Eu acho que ando pensando demais...

DÉA ROS


Ando me sentindo cansada,
e o cansaço me tira as forças.
Isso, de fato, é se cansar?
Andar e não chegar a lugar algum?
Até quando?
Até quando devo esperar?

A esperança no meu coração, se adia.
Dia após dia, espero.
E espero... e espero... e espero.
Logo, é noite. 
Adormeço.

Se faz dia, outro dia.
Tudo de novo, outra vez.
O cansaço continua, a fraqueza também.
Mas decido continuar esperando...
Quem sabe, um dia,
esse mal se transforma em bem?
:DÉA