Pages

26 de jun de 2010

Meu último cálice

Meu último cálice

Chegou a hora de secar meu cálice
Um vaso proibido
Em resguardo apenas para ti.
 
Beba deste cálice
Saceia tua sede de mim
Enquanto ele está cheio.
 
Meu cálice está em arrebatamento
Com a essência de um fruto balsâmico
Escorrendo-o como doce veneno
Qual ébrio de um líquido profano.
 
Toma-o para ti
Como apócrifos sagrados
Derramando-o ao altar
Tal ménade insaciável.
 
Eis o último Cálice
Reluzindo os olhos do amante
Exalando o sabor do pecado
Tal bebida inebriante
 
Chegou a hora da partida
Leva-o contigo nos embrulhos do coração
Na embriaguez da paixão
Ou então afasta de ti este cálice.

0 comentários:

Postar um comentário