Pages

13 de fev de 2011


Sossegue coração,

ainda não é agora,
a confusão prossegue,

sonhos afora...

Calma, Calma !

Logo mais a gente goza,
perto do osso,
a carne é mais gostosa...

NÃO LAVEI ......!!!!! /DEA


Não lavei...

.
Não lavei os cabelos pois tinham
o calor da tua mão.
Não lavei as mãos
pois tinham os sons
do teu corpo.
Não lavei o corpo
pois tinha os rastros
dos teus gestos, no meu corpo a sagrada
profanação do teu olhar que não lavei.
Nem aqueles lençóis, não os lavei, nem os
espelhos que continuam onde sempre estiveram,
por que eles nos viram
cúmplices, e a paixão, no
paraíso, parece que era.
Lavei, sim, lavei e perfumei
a alma, em jasmim, que é
tua, só tua, para te esperar
como se nunca tivesses ido a
nenhum lugar, donde apaguei
todas as ausências que apaguei
ao teu olhar.

INSTANTANEO ...../DEA

século, é o fim do meu
século.

Poder testemunhar
esse momento
é uma emoção,
ainda, por se definir.

Saber que esse
momento está tão
próximo
é perturbador.

Tudo parece que está
por se acabar
e eu mal comecei.

Não!
Não mexam em nada,
deixem tudo como está,
quero tirar uma foto
do meu século passado.

SE O AMOR E UMA TROCA ...../DEA

SE AMOR É TROCA....

Ou entrega louca,
discutem os sábios
entre os pequenos
e os grandes lábios...............

No primeiro caso,
onde começa o acaso
e onde acaba o propósito,
se tudo o que fazemos
é menos que AMOR,
mas ainda não é ódio?

A tese segunda
evapora em pergunta,
que a entrega é tão louca
que toda espera é pouca?
Qual dos cinco mil sentidos
está livre de mal-entendidos?