Pages

28 de mai de 2011

"Fêmea"....!!!!!1 DEA





"Fêmea"

Autoria: Shirlei Braga

Sem medo do perigo,
o que quero não sossego
enquanto não consigo.
Meu cio é avesso, machistas
fogem de mim
Sou fêmea, a ninguém obedeço,
gosto de ser assim.
Tenho um fogo que não cessa,
só você me satisfaz.
Com carinho e sem pressa
você, eu quero sempre mais.
Meu corpo incendeia
quando te vejo,
não sei o que faço com
tanto desejo.
Quando lembro do teu corpo
Colado ao meu, das suas mãos
me apertando, sua boca
Me beijando, enlouqueço.
Quero te sentir outra vez,
Tocar em teu corpo,
ser o que sou:
fêmea, desejando o teu cio,
provando o teu desejo,
aquecendo o teu frio,
roubando teus beijos.
Te quero macho,
sedento de prazer,
Quero me dar,
sem medo e sem vergonha
e juntos celebrar o
êxtase que nos transporta
ao paraíso.

BOCA...DELICIOSA TENTAÇÃO!.....




BOCA...DELICIOSA TENTAÇÃO!

Autoria: Nádia

Amo teu corpo.
Corpo que pode não ser perfeito
mas é o corpo que me dá prazer.
Amo tua boca que beija,
que lambe, que suga
e que leva-me a loucura...
Boca que geme e grita
respondendo ao toque
de minhas carícias...
Boca que percorre
os contornos do meu corpo
que me fala ao ouvido:
você me deixa louco!
Boca que tem o sabor do mel.
Lingua que me transporta aos céus...
Boca sensual, que fala que sorri
Boca que me encanta e me faz feliz!
Boca, lingua, saliva, beijos...
Prenúncio de dois corpos
explodindo em desejos.
Boca... Boca...Ah! Essa boca tua
deliciosa tentação minha!

Nádia Santos

QUERO TUA NUDEZ.....DEA


Quero tua nudez

Autoria: José João da Cruz Filho

Quero percorrer teu corpo,
Descobrir teus segrêdos,
Entrar em tua alma,
Sugar teu ventre, quente,
Ardente, com gosto e mulher.
Quero despertar teus sentidos,
Ouvir teu gemidos, delirios
Com carícias ousadas
De mãos atrevidas e sendentas.
Vestir tua nudez
Com um olhar tão carente
Que se faz inocente por tanto querer.
Quero me perder entre colchas
Ou na flor, entre as coxas
Sentindo o perfume
Como se fosse um queixume
Por querer se entregar.
Quero me deitar no cansaço
Do teu corpo desnudo, suado
Mas ainda ardente
Por não estar saciado.
Quero me confundir com teu jeito
Sem ter preconceito e rir do pudor
Perguntar pelo homem e pela mulher
Num amor que sem sexo
Por tanta fusão
Confundem: Concavo e convexo.
Ouvir ou dizer palavras obscenas
Mas com tanta ternura que a própria loucura
Em sã consciencia se faz de razão.
Quero sentir teu olhar
Traduzir o desejo de me possuir
E tuas mãos em meu corpo correndo
Meus tantos segrêdos assim descobrir

LOUCO DESEJO......DEA


Louco Desejo

LOUCO DESEJO.... Autoria: Gui Venturini

Talvez esteja louco,
Louco por ti,
Louco pra lhe consumir.
Talvez eu beba toda sua seiva,
Acaricio os seus seios e lhe
Faço querer.
Talvez o meu desejo seja
lhe fazer gozar, gemer e sonhar.
Talvez não,
Talvez sim,
Talvez.
Sua nudez me faz mais uma vez acariciar e desejar você.
Enrolada em um lençol de seda,
Você se coloca em posição de fêmea
E me faz consumi-la feito macho.
Tudo começa no entusiasmo,
Tudo permanece no embaraço de nossos lábios,
Tudo acaba anestesiado.
Desejo, prazer, orgasmo.

SEXO COM AMOR...../DEA


SEXO COM AMOR

Data Postagem 09/01/2011, Autoria: Cesar Carvalho

SEXO COM AMOR

não se faz só por fazer
pode-se ficar a desejar
não é só querer ter
tem que muito saborear

íntimo na simples conclusão
se aprofunda no prazer
ato paralelo a paixão
dois se torna um, ao desenvolver

encosto e susurros ao ouvido
pontas de dedos deslizam na pele
viajem longa em sua libido
apelações ao fogo que não congele

cada segundo se faz por deliciante
cada minuto se torna infinito
se esquece o tempo antes e durante
e no final o mundo fica mais bonito

não necessita de grande experiência
e sim do gostar de ambas as partes
ato natural comprova a ciência
sem correr riscos de alguns descartes

quando se faz por amor ao parceiro
se eleva ao máximo o entusiasmo
em todos, desde aquele primeiro
se chega a um inesquecível orgasmo

Cesar Carvalho

POR TODA NOITE..../DEA




POR TODA NOITE

Autoria: Nádia

Esta noite eu te queria
em minha cama
com os olhos transbordando
de desejo e amor...
Sentindo tuas mãos
percorrendo meu corpo
arrepindo minha pele,
me beijando com ardor...
A cada carícia tua
enlouquecida de desejo
vai crescendo a vontade
de ser tua por inteiro...
O teu corpo sobre o meu
corpo vai queimando de paixão.
enquanto teus olhos fixos
aos meus faiscam de tesão.
Com a fúria dos amantes
faz-me tua, sejas meu...
Iremos aos céus,
flutuaremos nas nuvens,
faremos amor por toda noite,
até o apagar das luzes.

TEUS DEDOS ...../DEA


Again...


Os teus dedos cravam-se firmes nas minhas
pernas e sinto a urgência do teu corpo. Sinto
a tua boca quente na minha pele e a tua língua
que procura ávida os meus seios...
Aperto-me contra ti num abraço voraz e carregado
de desejo, querendo sentir-te dentro de mim...
São minutos...horas...de antecipação e prazer!
Sôfregos caímos num intenso e profundo orgasmo...
(again and again)

Segredos....DEA


Segredos....





A tua respiração ofegante sobre mim...
o arfar do teu peito contra o meu...
os gemidos incontidos...teus e meus...
são a música de fundo...enquanto as nossas bocas
se procuram ávidas e murmuram segredos e promessas...
"Sim amor...sim...sim...sim...
(sempre)



SONO DOS amantes !

QUERO MERGULHAR NESSE LIQUIDO VIÇOSO
E ME BANHAR COM TEU AMOR...
LHE CONTAR SEGREDOS
AO PÉ DO OUVIDO,
QUEIMANDO OS PÉS,
LHE ACARICIANDO A ALMA,
DESENHANDO TEU CONTORNO,
QUERO IR PARA A LUA QUANDO
EM COPOS DE VINHO,
SUCUMBIRMOS
AO SONO DOS AMANTES,
ACORDAR MAIS QUENTE QUE ANTES
RECOMEÇAMOS...

PAULO ALVARENGA

24 de mai de 2011

Vagina.....!!!!!!/DEA




CAlex Fagundesé

Vagina

I

Teus lábios,
doce mel de frutas sazonais,
se oferecem livres
ao desfrutar dos beijos.

Tua boca molhada,
ostra aberta ao desejo,
saliva de todas delícias.
A flor de todas carícias
tuas pétalas
ficam expostas aos meus sentidos.

Abre-se,
jardim das virtudes,
fazendo-se carne
e despeja sobre mim
tua água farta.

O calor de teus ermos,
o vale de tua sombra,
transmite-me, dentro de ti,
a dádiva profana da terra onde
todos os frutos habitam
e se depositam
todas as sementes.

Sabe-se que tu, mulher,
antes de mais nada
tens a vagina preparada
para afirmar-te fêmea
a qualquer tempo.

II

Tenho a ânsia infinita de te possuir
até o fundo, sem qualquer constrangimento.
E ao mesmo tempo quero fazer-te sentir
-se, então, senhora nem que por um momento.

Em meio à faina, meio da batalha.
Espada em riste, sem traço de clemência.
Afasto as portas de tua residência
e cravo tudo rompendo a tua malha.

E ao sentir-se tão fundo lancetada
tua vagina entrega-se de todo,
vibra por dentro, toda encharcada
e me domina enquanto eu a fodo.

E a luta afasta de nós todas as éticas
no afã de possuir a alma alheia.
Uma ciranda entoada sem poéticas,
uma charanga expressa em carne, nervo e veia.

E eu te domo, gazela desfreada.
E eu te como, boceta enfurecida.
Eu te quero assim, escancarada,
pra despejar em ti a minha vida.

E se aproxima a última estocada
o frenesi expresso, uníssono dueto
tua boceta me traga esfaimada
e te devoro no teu fundo aposento.

Mas num momento em que tudo é mais tudo,
como se fizesse a morte inquilina.
nesse instante supremo eu fico mudo
e me rendo, inteiro, em tua vagina.

Virtual...../DEA


C. Almeida Stellaé

Virtual

Nunca te vi,
Não conheço o teu corpo,
Mas eu te sinto
Mesmo que estejas longe.
Não me olhei ainda
Na luz dos teus olhos
E nem provei
O gosto da tua boca.
Mas eu te quero,
Mesmo sabendo
Que nunca te terei.
Não experimentei o teu toque
E nem sequer te acariciei,
Mas sinto o teu perfume no ar.
Sucumbi à tua sedução,
Mesmo sabendo
Que nunca te encontrarei.
Nosso amor é só virtual,
Mas não faz mal,
Pois alma é mais do que corpo.
E, se não te tenho ao meu lado,
Que o vento sussurre para ti
Minhas palavras de carinho.
Quero também que ele diga
Que alguém te ama
Do jeito que mais sabe,
Com tudo o que é capaz.
E se pensares no amor,
E em tudo o que ele traz,
De felicidade, na vida,
Ora, isso não é nada,
Pois te amo muito mais!
Alma é mais do que corpo.
E minha alma seguirá
Sempre amando a tua,
Mesmo que nossos corpos
Nunca possam se encontrar.
Mas chegará o momento,
Por alma ser mais que corpo,
Que seremos só uma alma,
Um coração
E um só pensamento!

Vida fácil..../DEA



Bruno Kampelé

Vida fácil

(Para M., que em Paris me contou como pagava as contas)

Uma vagina eloqüente divaga
Enquanto o visitante mutante
Nela desopila sua bílis
Sem se ater às consequências
Desse vômito intra-muros.

Essa vagina espasmódica recita
Um verso cadente enquanto oprime
Candente a vontade de escapar
Gritando do punhal que sem descanso
E com premura dilacera sem pena
A solidão de sua mais íntima caverna.

É o coito grita a bílis satisfeita
É a glória geme o visitante num delírio
É a raiva se defende a vagina apunhalada
É a foda é uma foda essa trepada
Sem descanso sem vontade sem querer
sem desejo sem tesão nem poesia.
É a vida é a vida. É árida essa vida
Essa ávida vida ou você duvida?.

"Cem dólares, não, não menos
E por trás é mais, e na boca
Apenas a metade, e, sim,
Primeiro a grana, que quero
Ser fodida apenas uma vez
Que não sou boba, e que isto
E que o outro, e se pensa que
Uma trepada fácil é fácil não
É não é difícil mais difícil
Tão difícil como estar casada
Com o freguês que na semana
Apenas uma vez e de graça
cospe os seus fracassos
na vagina da qual é arrendatário
senhor e proprietário".

Vida fácil? Aqui, ooooo!!!!!

MULHER.....!!!!!/DEA


Bruno Kampelé

Mulher

Não quero uma mulher
Que seja gorda ou magra
Ou alta ou baixa
Ou isto e aquilo.

Não quero uma mulher
Mas sim um porto, uma esquina
Onde virar a vida e olhá-la
De dentro para fora.

Não espero uma mulher
Mas um barco que me navegue
Uma tempestade que me aflija
Uma sensualidade que me altere
Uma serenidade que me nine.

Não sonho uma mulher
Mas um grito de prazer
Saindo da boca pendurada
No rosto emoldurado
No corpo que se apoie
Nas pernas que me abracem.

Não sonho nem espero
Nem quero uma mulher
Mas exijo aos meus devaneios
Que encontrem a única
Que quero sonho e espero
Não uma, mas ela.

E sei onde se esconde
E conheço-lhe as senhas
Que a definem. O sexo
Ardente, a volúpia estridente
A carência do espasmo
O Amor com o dedo no gatilho.

Só quero essa mulher
Com todos seus desertos
Onde descansar a minha pele
Exausta e a minha boca sedenta
E a minha vontade faminta
E a minha urgência aflita
E a minha lágrima austera
E a minha ternura eloquente.

Sim, essa mulher que me excite
Os vinte e nove sentidos
A única a saber
O que dizer
Como fazer
Quando parar
Onde Esperar.

Essa a mulher que espero
E não espero
Que quero e não quero
Essa mulherportoesquina
Que desejo e não desejo
Que outro a tenha.

Que seja alta ou baixa
Isto ou aquilo
Mas que seja ela
Aquela que seja minha
E eu seja dela
Que seja eu e ela
Euela eu lá nela
Que sejamos ela.

E eu então terei encontrado
A mulher que não procuro
O barco, a esquina, Você.
Sim, você, que espreita
Do outro lado da esquina, no cais,
A chegada do marinheiro
Como quem apenas me espera.

Então nos amarraremos sem vergonha
À luz dos holofotes dos teus olhos,
E procriaremos gritos e gemidos
Que iluminarão todas as esquinas.

Será o momento de dizer
Achei/achamos amei/amamos
E por primeira vez vocalizar o
Somos, pluralizando-nos
Na emoção do encontro.

Essa a mulher
que não procuro
nem espero.
Você, viu? Você!

Bruna Lombardi é Elogio do pecado////dea

Bruna Lombardié

Elogio do pecado

Ela é uma mulher que goza
celestial sublime
isso a torna perigosa
e você não pode nada contra o crime
dela ser uma mulher que goza

você pode persegui-la, ameaçá-la
tachá-la, matá-la se quiser
retalhar seu corpo, deixá-lo exposto
pra servir de exemplo.
É inútil. Ela agora pode resistir
ao mais feroz dos tempos
à ira, ao pior julgamento
repara, ela renasce e brota
nova rosa

Atravessou a história
foi queimada viva, acusada
desceu ao fundo dos infernos
e já não teme nada
retorna inteira, maior, mais larga
absolutamente poderosa.


Sensual.... /DEA

Belchioré

Sensual

Quando eu cantar
quero ficar
molhado de suor
e por favor não vá pensar
que é só a luz do reflector

será minha alma que sua
sou um sol negro de dor
outro corpo a pele nua
carne músculo e suor
como um cão que uiva pra Lua
contra seu dono e feitor
bicho um animal ferido
no dia do caçador
humaníssimo gemido
raro e comum como o amor

Quando eu cantar
quero deixar você
molhado de amor
e por favor não vá pensar
que é só a noite ou o calor

Quero ver você ser
inteiramente tocada
pelo licor da saliva
a língua o beijo a palavra
minha voz quer ser o dedo
na tua chaga sagrada
uma voz feita de espinho
espora em teus membros cansados
sensual como o espírito
ou como o verbo encarnado

Sexo/cama;;;;;; .../DEA

Manuela Amaralé

Sexo/cama

Fui ordinária
requintada
tímida
Misturei poesia com vários palavrões
Gritei
Uivei
Gemi
Rasguei almofadas e lençóis

Fui carnaval de amor
no circo de uma cama.

17 de mai de 2011

BANHAR-SE.....!!!!!!! /DEA




BANHAR-SE


BANHAR-SE

Bobinho é o que dança

nos códigos simples

Atingir mil leituras

só para uma imparcialidade

de mil veredas

é difícil envolver

na comunicabilidade que

os impulsos pedem

banhando-se uma revolução

de carismas

para que os olhares sejam o tal

o sorriso seja aquele

a vontade seja eterna

O suor das mãos do médium

quer ultrapassar as mãos do balé

mimando as formas, curvas

até incendiar a mulher

numa estação de essências

que nasce da materialização

da música,na encadernação

dos sonhos

no aplauso dos belos


SÉRGIO CUMINO

ESCULPINDO DESEJOS .... /DEA


ESCULPINDO DESEJOS


ESCULPINDO DESEJOS

Pela bela me declino aos pés

Com as mãos que embeleza o olhar,

Toque que nasce da fé

Na planta que torna meu guia

Construindo muitos desejar

toda sua tesão que esvaia

modelo o calor da bela

na magia que emana das palmas

dedilho pela trilha macia

o encontro de nossas almas

a sentir- ser doce eterna

numa coreografia que aquece

o toque da intensidade terna

esculpo a união das animas

mãos no namoro com as pernas

suas imaginações aparece

como tango sensual latino

Por um bom beijo fica aquecida

corpos reverberam como sino

movimentos que busca o querer

nesse calor que a torna atrevida

celebramos com um bom vinho

arrepio provocado pelo lamber

Toque que germina o que Atino

Mãos que buscam o nosso ser

Intensões quereres ávidos

Sem vir o tempo passar

Meu corpo todo servindo

a poesia da graça do amar.

Corpos e vontades de ter

A boca em todos seus lábios



SÉRGIO CUMINO

CÚPULA MORENA...!!!!!!!!!/DEA


CÚPULA MORENA

CÚPULA MORENA

Uma pele, um sorriso

O corpo que fala

A excitação testemunhada pelas

Paredes molhadas

No vapor do banho

A palavra toma vida,

O corpo, aprendiz.

E o vapor, vem de dentro

Com a força que move a maquina

Que move o querer.

Estado de espírito é o sorriso

Da pele de essência

Sem temores, pura e nua

que descobre no sensual, seu templo

Da mulher ao suspiro menina

Um sorriso de rubor nas faces

Nas faces do mundo da nova ótica

Nas fazes mágicas de cada lua

Um mundo de novas cores,

Novas trilhas, novos medos

Contra a farsa do indecoroso passado.

Agora é graça de passo acanhado

Pelo parque da cidade, vai descobrindo

Que o frio na barriga, só, o do inverno

Porque o poeta do toque afetuoso

Olhar tênue, e as mãos que se estendem

Rompendo com a vida rotineira

Na temperatura do desejo,

Gozando bons intentos

Faz da morena poesia

E descobrir a beleza do movimento.

Para modelar a nova mulher,

Mulher brasileira


SÉRGIO CUMINO

DANÇA DO RETRATO...!!!!!!!/DEA

DANÇA DO RETRATO

DANÇA DO RETRATO
Imagem que transcende a imagem

Arrasta meu espaço com sua musica

Pelos ficam eretos com sua aragem

Voeja a saia com graça de geógrafa

Traceja os caminhos dessa viagem

Com beleza, furor e sem fronteiras

Ali estagnado atendo ao bailado

Sou olhos do contorno ela coração

Impulsiona conceitos que avança,
É a alma que se deixa fotografar
Toda musica da mulher faceira


Até quem sem visão é contaminado

Jubilosa é a estética da tentação

Desvenda balé do suspiro platônico

Fazenda que baila gera o vento

Magia da saia a faz feiticeira

Sopra charmosa ao vigilante ouvido

Acoplar aos meus olhos atônitos

Zunido de um sussurro atrevido

Ensina que essa encarnação

Com graça será mais bem vivida

Liberdade pela sagrada loucura

Segura a saia rodada com a mão

Que movimenta a explosão querida

No registro da sua sala pra vida

No doce do lar se faz menina pura

E a imagem emana de si inspiração
Sérgio Cumino

QUE HOMEM É ESSE?....!!!!! /DEA

QUE HOMEM É ESSE?


QUE HOMEM É ESSE?

Que homem é esse que me invade?

Surge do nada e em mim se instá-la

caiaque que desliza em meu sangue

Cativa minha natureza empático abade

Olhar de que já sabe antecipa minha fala

Um rito sedutor que me molha em transe



Que homem é esse que me persegue?

Tira em dois versos o domínio de mim

e leva-me a burlar meu próprio voto

pelo singelo prazer de me vir entregue

E me faz rosa, flor de Liz e jasmim

Sonho ser despida e amada no solo



Que homem é esse que me pede?

Insolente como quem não me quer

Indulgente de sabor romântico

Faz-se eterno o instante breve

Faz-se profundo meu ser mulher

Um mergulho de amor Límpido



Que homem é esse que me cega?

Que faz do profano o sagrado

Insegurança transforma em arte

Gentil anárquico e rude me pega

Que faz desse homem amado

Causador do desejo que arde



Que homem é esse que odeio?

Que parece ter parte com diabo

Que faz festa com meus infernos

meus fervores principio dos anseios

Da vida ao meu pecado sonhado

E a moral impune em flagelos



Que homem é esse que quero deletar?

Em prol de tudo que acho correto

Mantedora das rotineiras situações

Que bate de frente sem indagar

Qualquer argumento do alfabeto

Com atos e furor de vividos tesões



Que homem é esse que nunca toquei?

E sinto a ponto de me deixar impotente

A voz que arrepia sem nunca ter ouvido

Ele sabe de mim que nem eu mesma sei

A quem eu me abrirei e clamo que entre

E como selvagem libero meus sentidos.

Sérgio Cumino

ABSORÇÃO INTIMA !!!!!! /DEA


ABSORÇÃO INTIMA


ABSORÇÃO INTIMA



No recluso do quarto alado

Ela sente a solidão orquestrada

Em veios por pensamentos viu

Na busca da satisfação ausente

No tumulto intimo do silencio

Sob a luz do abajur azulado

Responde ao vento vindo da rua

roga a boca que provoca arrepios

lábios que sabe sussurrar o que sente

Mesmo fechada como as janelas

Sobre o lençol, o corpo pede o amado

Em devaneios sublimes seminua

Que por trás de suas persianas

Sente seus murmúrios como assovios

Mágicos penetrantes a sua alcova

Abotoada ao invasor imbecil

Mas ao calor mágico atende o chamado

Recriando seu corpo belo ardente

Ao qual reserva fresta que lhe resta

Esta na medida para romper a sela

Entregue a vontade que a rouba

No frisson, torna pernas em tranças

O que põe a bailar o brilho da vela

E a coreografia do corpo sobre a cama

Rola e embola aos sonhos assanha

Evoca a imagem que o desejo empresta

sensualidade e cheiro dos cabelos a cada fio

são signos aquece mulher fatal e bela

No silencio do seu aposento cresce a chama

Suas unhas sobre o lençol branco arranham

o corpo imaginário do amado sem arestas

Que tempera seus pedidos e desejos com cio

Fica louca selvagem e nada mais que a prenda

vivencia o sopro sonhos e façanhas

Entrega a singular orgia asceta

Que faz suas coxas lisas emanar seu rio

E úmida acorda o bico das mamas

Dedilha o ventre do tesão que orquestra

A mão que escorrega louca sem meta

Abusada e tarada sob vermelhas rendas



Sérgio Cumino