Pages

10 de ago de 2010

QUERO SÓ A ESCURIDÃO E SILÊNÇIO:DÉA ROS

QUERO SILÊNCIO
ANNA VERONICA MAUTNER

Silêncio. Silêncio, por favor. Psiu. Gritamos e colocamos janelas à prova de som, paredes almofadadas, tapetes, forros etc. O barulho de construção, de serra elétrica, de motores de carro, de buzinas -é o preço da modernidade, mas não é sobre isso que eu quero falar, e sim sobre o barulho humano de crianças e jovens. Quero falar dos sons das gentes.
Há anos, fala-se sobre a dificuldade de conciliar modernidade com ausência de silêncio e falta de espaço. Amplo espaço silencioso virou artigo de luxo.
Contudo, tenho que confessar que somos nós, adultos, que liberamos e orquestramos esse inferno em que o barulho humano transformou o nosso mundo. Assentimos que ruídos ensurdecedores feitos por crianças, jovens e jovens adultos dominem.

Existem certos recintos que não conseguimos evitar, e, assim, ninguém consegue um encontro consigo mesmo, que sem silêncio é impossível.
Nada contra a alegria e tudo contra o som pelo som, só para fazer companhia e evitar esse encontro. Musiquinha de fundo invade o planeta. Ficamos sem refúgio. Solidão e silêncio viraram palavrão?

Creiam-me, mesmo em hotéis grandões, é difícil encontrar lugar onde a criança entra sem fazer barulho. Só no bar, onde o escurinho à meia-luz é sinal, aliás o único respeitado pelas crianças. Em todos os lugares, seja ônibus, avião, lanchonete, cantina, somos envolvidos por gritos e por música, jamais por sussurros.
Como é que as crianças, as mesmas que gritam e galopam pelos corredores, conseguem manter-se em silêncio na missa, no culto, em enterros e em velórios? Como é que respeitam também o cinema?
Pode parecer até que sou contra criança, mas não sou, não, pois acho que somos nós, os adultos, por temer o silêncio, que instigamos ou deixamos o barulho vingar em volta de nós.
Quando vem uma ordem de silêncio pra valer, elas se calam e param de correr. Vivemos um momento e em um universo em que a aversão ao silêncio não se manifesta só com música de fundo, com escapamento desregulado, com os motoqueiros, mas ainda nos damos ao luxo de liberar qualquer barulhento em qualquer lugar.
O que aconteceria se, de repente, o silêncio caísse sobre nós? Respondo: discursos interiores, voz da "consciência", emergiriam. Talvez sejamos todos culpados por maus pensamentos e/ou intenções, o que nos leva a viver em permanente esquiva de nós mesmos.
Com a barulheira que nos rodeia, tornamo-nos surdos a nós mesmos. Parece que o lema atual é: evitar o silêncio é o dever de todos. Deseduquem-se os outros. Silêncio é necessário para que se possa manter os homens como seres pensantes, criativos, dotados de memória e livres do excesso de estresse.
Não quero que o silêncio só exista na calada da noite, no alto das montanhas, no ermo das matas. Quero-o no contato com as pessoas queridas, ricas e coloridas -meus semelhantes. Não quero ser misantropa, quero ruído normal que me permita falar, sentir e pensar.

QUE VIDA ENGRAÇADA A MINHA : DÉA ROS

A vida é engraçada... Quando aquilo que a gente sonha acontece, alguma coisa vem e tira aquilo da gente... Será que sonho demais? Ou sonho com algo impossível?
Tudo estava caminhando quando eu constatei que não dava para fingir que tudo estava perfeito, que o estágio estava agradando, que minha saúde estava ótima...
Não aguentei e tive que optar... Mesmo querendo muito aquele estágio optei pela faculdade. Nem me assustei tanto assim por ter 42 quilos de uma hora pra outra!
Me assutei com a falta de força e motivação... Me sinto agora triste por sentir meu corpo fraco, sem resistência... Não podia também fingir pra mim que estava aprendendo alguma coisa lá.
Que aquela experiência iria me enriquecer.
Tinha uma imagem diferente do trabalho. Infelizmente não era nada daquilo que eu queria, do que eu pensava e do que foi dito na entrevista.
Eu simplesmente poderia fechar os olhos e ir empurrando com a barriga, afinal demorei tanto para conseguir essa oportunidade!! Mas não sou assim... Não consigo! Alguma coisa estava me incomodando... Eu descobri a tempo e saltei fora!
Enquanto tento digerir tudo isso, vou cuidando de mim, estudando, que é o melhor que eu faço. E não tentando racionalizar tudo... Senão eu piro... Não vou morrer por isso!
Apenas mais uma decepção! Vou tentar colocar minha saúde no lugar( física e mental).
Meu aniversário está chegando... Dia 17 ... 25 anos de acertos e erros... De momentos incríveis e ruins... O bom disso tudo é colocar tudo na balança e ver que as coisas boas são maiores do que as coisas ruins, decepções, tristezas... Não vou pensar que estou fazendo 25 anos e que tenho ainda quase todos os meus sonhos distantes de mim... Eles estão lá longe, mas um dia eu realizo todos... Rsrs! Vou vivendo a vida sem pensar muito... Acho que esse é o truque!! Rs!

MULHERES DE TODAS AS IDADES :DÉA ROS



MULHERES DE TODAS AS IDADES 

Aos 3 anos ela olha pra si mesma e vê uma rainha. 
Aos 8 anos ela olha pra si mesma e vê Cinderela. 
Aos 15 anos ela olha pra si mesma, vê uma bruxa e diz: "mãe, eu não posso ir pra escola desse jeito!" 
Aos 20 anos ela olha pra si mesma e se vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, com cabelo muito liso/muito encaracolado", mas decide que vai sair assim mesmo... 
Aos 30 anos ela olha pra si mesma e se vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, com cabelo muito liso/muito encaracolado", mas decide que agora não há tempo para consertar essas coisas. Então, sai assim mesmo.. 
Aos 40 anos ela olha pra si mesma e se vê "muito gorda/muito magra, muito alta/muito baixa, com cabelo muito liso/muito encaracolado", mas diz: "sou uma boa pessoa" e sai mesmo assim... 
Aos 50 anos ela olha pra si mesma e se vê como é. 
Sai e vai para onde ela bem entender... 
Aos 60 anos ela olha pra si mesma e se lembra de todas pessoas que não podem mais se olhar no espelho. Sai de casa e conquista o mundo... 
Aos 70 anos ela olha pra si mesma e vê sabedoria, risos, habilidades... sai para o mundo e aproveita a vida...
Aos 80 anos ela não se importa muito em olhar pra si mesma. Simplesmente põe um chapéu violeta e vai se divertir com a vida... 
Talvez devêssemos pôr o chapéu violeta mais cedo... 
HOJE VOU SAIR COM UM CHAPÉU VIOLETA...

SÓ QUERO ESTAR NA TUA VIDA PÓSSO? DÉA ROS




Quero estar na sua vida
Mas nem amigo, nem amante
Nem tão perto, nem distante

Quero na sua vida
ser somente importante

Não interessa porque porta eu entre
Quero entrar na sua vida docemente
Me instalar delicadamente
Quero estar na sua vida
Esteja ela alegre ou conflitante
Tranqüila ou angustiante

Quero ficar na sua vida
por um longo tempo
Estar presente em todo momento

Quero te guiar
sempre que você achar
Que está difícil de enxergar

E toda vez que as lágrimas quiserem brotar
E que você não conseguir secar
Quero estar na sua vida de um jeito diferente

Nem de costas e nem de frente
Caminhando lado a lado
Num silencio acomodado
Aberto para ser pra você
Seu sol e seu entardecer
Sua noite e seu amanhecer

Quero estar na sua vida, discreta
Mas sempre com a porta aberta
Sempre pronto pra lhe receber
Faça chuva ou faça sol dentro de você

Quero ser na sua vida, eterna
Mas nunca lhe prender, nem lhe pertencer
Nem lhe escravizar, nem lhe fazer sofrer

Quero estar na sua vida daquela maneira
Que sonhamos ser possível a vida inteira
Sem cobranças, sem vinganças
Sem grandes metas
Viajando apenas numa reta
Somente presente... eternamente!

Assinado: Deus!

FOLHAS DA AMIZADE:DÉA ROS



Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes
pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho.
Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas
passarem, mas outras vemos apenas entre um passo e
outro. A todas elas chamamos de amigo.
Há muitos tipos de amigos.


 Talvez cada folha de uma árvore caracterize um deles.

O primeiro que nasce do broto é o amigo pai 
e o amigo mãe. Mostram o que é ter vida.
Depois vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso
espaço para que ele floresça como nós.

Passamos a conhecer toda a família de folhas, a qual
respeitamos e desejamos o bem.
Mas o destino nos apresenta outros amigos, os quais
não sabíamos que iam cruzar os nossos caminhos. Muitos
desses denominamos amigos do peito, do coração.
São sinceros, verdadeiros; sabem quando não

estamos bem, sabem o que nos faz 
felizes...

Às vezes, um desses amigos do peito estala o nosso
coração e então é chamado de amigo namorado. Este dá
brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios,
pulos aos nossos pés.


Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez

umas férias ou mesmo um dia ou uma hora. Estes
costumam colocar muitos sorrisos na nossa face,
durante o tempo que estamos por perto.

Falando em perto, não podemos esquecer dos amigos

distantes. Aqueles que ficam nas pontas dos galhos,
mas que quando o vento sopra, sempre aparecem
novamente entre uma folha e outra.


O tempo passa, o verão se vai, o outono se aproxima,
e perdem
-se  algumas de nossas folhas.
Algumas nascem num outro verão e outras permanecem 

por muitas estações. Mas o que nos deixa mais feliz
es  é 
que as que caíram continuam por perto, continuam
alimentando a nossa raiz com alegria.
Lembranças de
 momentos maravilhosos
enquanto cruzavam o nosso
 
caminho.

Desejo a todos vocês, folhas da minha árvore,

Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...
Hoje e Sempre...

Simplesmente porque:
"Cada pessoa que passa em nossa
vida é única. Sempre deixa um pouco de si
e leva um pouco de nós
".
(Antoine de Saint-Exuperry)


Há os que levaram muito,
mas não há os que não deixaram nada.
Esta é a maior responsabilidade
 de nossa vida ...
E é a prova quase evidente de que
duas almas não se encontram por acaso."