Pages

27 de jul de 2010

CANSADA .APENAS CANSADA AFF ,DESCULPEM MEUS E MINHAS AMIGAS ,QUE ENTRAM AQUI AS VZS ESPERANDO LER ALGO BOM OK? MAS HJ ESPECIALMENTE ANDO ME SENTINDO UMA INUTIL, CANSADA DE TUDO E SEI QUE NÃO DEVERIA ,POIS TENHO MILHARES DE PESSOAS QUE DEPENDEM DE MIM TANTO MEUS FILHOS QT ALGUEM MUITO ESPECIAL EM MINHA VIDA TB DEPENDE DE MIM E DO MEU TRABALHO .SEI QUE AMO MEU TRABALHO E SEMPRE PROCUREI REALIZA-LO DA MELHOR MANEIRA POSSIVEL E SEMPRE OBTIVE OTIMOS RESULTADOS ,MAS ESTE ANO TALVEZ POR EU ESTAR SAINDO DE UMA DOENÇA BRABA ANDO ASSIM ,CANSADA /DESANIMADA SEM ANIMO ALGUM NEM PRA COMER QT ++ PRA TRABALHAR MAS SEI QUE PRECISO ME LEVANTAR E SEGUIR EM FRENTE E SEI QUE VOU CONSEGUIR IR ATÉ O FIM MESMO TÃO CANSADA E DESANIMADA . DESCULPEM TDS VCS BJUSS LINDA NOITE E TENHAM TDS UMA BÉLA SEMANA :DÉA ROS

Cansada
Exausta
Gasta
Moída
Ferida

Deixei-me vencer!
Cortaram-me a trança!
Alvejaram-me o calcanhar!

E este cansaço
que me mata!
Consumida
pouco a pouco...
... aos poucos!

Sou charuto bafejado,
snif, cheiro de pó,
bebedeira mórbida
envolta no elixir dos deuses.

Espera-me a mortalha
perfumada de jasmim
ou uma injecção de adrenalina,
um speed na língua
e objectivos.
Sonhos
a realizar, concretizar!

Estou farta desta languidez.
Nela me morro...
Nela me perco!

DÉA ROS

TÃO VAZIA /SEM VONTADE PRA NADA ATÉ PRA COMER OU BEBER AGUA OU MESMO MEUS MEDICAMENTOS:DÉA ROS

Sento-me na cama, cruzo as pernas e a vontade que tenho é a de chorar... Porque teimamos em questionar o óbvio e em sermos masoquistas?! Não lhe encontro explicação... a sério que não... Se temos o Sol todos os dias no nosso horizonte porque raio queremos nós a prata da noite?! A noite não vai deixar de existir só porque naquele momento é dia e, o Sol, não se vai esconder porque o Vampiro o quis ver nascer! Será possível que ainda não aprendemos o suficiente? É tão triste!... Entristece-me não termos consciência do milagre da vida... das coisas insignificantes (que deveriam ser tudo menos insignificantes) e insistirmos, estupidamente, nas mediocridades do quotidiano... Que importa saber, se no caminho de casa, encontrámos o diabo, se chegámos a casa... São e salvos, de volta aos braços que nos envolvem de amor... Não consigo compreender... Entristece-me sabermos olhar para o nosso umbigo e não ver o brilho da pele saudável....Para que queremos a sorte se gozamos com ela dia-a-dia... E fortuna! Quanta não existe esbanjada numa resposta torta, num sorriso amarelo, num gesto brusco?! E porquè?! Para què? Por insegurança?! Por medo?! De nós?! Dos outros?! Não consigo... a sério que não... e entristece-me! Entristece-me tanto amor deitado fora.... Tanta palavra que podia acalentar e corrói... tanto gesto humilde que podia surgir e é reprimido...
Não acredito que as pessoas se odeiem... mas, sinceramente, também não acredito que gostem delas mesmas...

DÉA ROS