Pages

28 de jul de 2010

CARTAS:DÉA


Cartas de Amor de Pedro a Inês

Coimbra, 14 Junho de 1350
Meu amor,
Estou a morrer de saudades tuas.
Como não posso ir aí visitar-te escrevo-te esta carta.
Espero que estejas bem, porque se tu estiveres bem eu também estou.
És o amor da minha vida, és a mulher que eu sempre quis e que todos os outros homens queriam ter. Penso que estamos juntos no lugar onde costumamos ir ver a água passar, os pássaros cantar e, à noitinha, víamos as estrelas.
Com ternura.
Pedro
Trabalho realizado por Bruna Ribeiro

Coimbra, 23 de Agosto de 1350

Olá,
Meu grande amor, não consigo aguentar mais as saudades.
A Constança não consegue esconder a raiva que sente por ti e pelos nossos filhos.
A Corte anda desconfiada que nós nos correspondemos, por isso estão a tentar encontrar provas para dizer a meu pai.
Temos de ter mais cuidado ou somos apanhados. Constança está grávida e é uma gravidez arriscada, ambos correm perigo de vida.
Por favor responde-me, assim alimento a minha paixão.
Sonho contigo, mas por mais que sonhe, parece que nunca vai acontecer.
Estou a morrer de saudades, mas prometo ir buscar-te muito brevemente.
Com os melhores sonhos da minha vida.
Pedro

Trabalho realizado por Vera Dias

0 comentários:

Postar um comentário