Pages

5 de fev de 2011

poesias de>>Alberto Leal /DEA

Vilão

Virei vilão,
Num mundo que impõe sua falsa verdade,
Em que não existem mocinhos,
Em que os sonhos são para os tolos,
E a felicidade para os falsos.

Virei vilão,
Por trilhar um dos caminhos iguais que me foram apresentados,
Por desejar que tudo fosse diferente quando tudo é igual,
Por desconhecer que tendo início, não importa o meio, o final será sempre o mesmo.

Virei vilão,
Entre vilões materializados em imagens confusas,
Onde ser pode não significar ser.

Virei vilão,
Para compreender o que não pode ser compreendido,
Para sentir o que não pode ser sentido,
Para escolher o que não pode ser escolhido.

Virei vilão,
Para te ver, te sentir e te possuir,
Virei vilão para salvá-la de um mundo,
Sem saber que nele eu estava perdido.

(Alberto Leal - 30 outubro 2004)

0 comentários:

Postar um comentário