Pages

15 de mar de 2011

Poema de Uma Puta (Marly Caldas)/DEA


Poema de Uma Puta

(Marly Caldas)

Mulher quente

presente

experiente

Nua

na rua

na lua

sou sua

De noite

de dia

puta

vadia

barata

Lhe querendo

gemendo

tremendo

fazendo

seu corpo suar

de tanto amar

Cansado,esgotado,

molhado,suado

quero você assim

dentro de mim

Fique

não pare

Me sinta

não se mexa

Me venha

não me xinga

Me aperte

não me largue

Me bata

não me afague

Só quero que no fim

me pague...

0 comentários:

Postar um comentário