Pages

26 de mar de 2011

NEM MIL PALAVRAS/DEA

NEM MIL PALAVRAS



NEM MIL PALAVRAS


Sente amor, Sente!

Todo o meu corpo Incandescente

Em um desejo latente

Que brota de dentro da gente

Entre nós, Realmente!

Tudo fica muito quente!

O teu corpo querendo o meu

Indecentemente!

Neste tesão que vem

Como lavas efervescentes

E explode numa paixão demente

E me sinto...

Totalmente...

Perdida...mente

Contente!

De você?

Sempre estou carente...

O meu coração não mente

O teu amor ele pressente

E neste ardor insistente

Fico maluka completamente...

Nem mil palavras eloquentes

Descreveriam uma sensação tão evidente

E mais que de repente...

Nossos corpos sofregamente...

Num despudor inconsequente

Entregam-se loucamente

Mergulhas em mim insanamente...

Beijas a minha boca até ela ficar dormente...

E um gozo pleno juntamente

Nos saciamos deliciosamente

Por mais que a gente tente

Nossos olhares inocentes...

Frente a frente...

Começa tudo novamente...


MENINA MALUKINHA

0 comentários:

Postar um comentário