Pages

4 de out de 2010

um casamento ,UM ERRO : DÉA ROS

Assim que eu e meu marido nos casamos, costumávamos deixar bilhetinhos um para o outro.
Eu o chamava de "lindinho" e ele a mim, de "anjo".
Os bilhetinhos eram mais ou menos assim: "Amor, acabou o pão. Te amo, Anjo" e eu sempre assinava com um desenho de um anjinho com asa, auréola acima da cabeça e com uma carinha sempre sorridente.
Os dele eram assim: "Sou mais feliz porque você existe na minha vida. Lindinho."
"Sem você, minha vida não faz sentido", e por aí vai...
O tempo foi passando e os bilhetinhos rareando, cada vez mais.
Passamos dificuldades, crises, algumas coisas não saíram bem como tínhamos previsto.
Chegamos a pensar por um momento que a melhor solução fosse uma separação.
Mas dizem que depois de uma tempestade, sempre vem a bonança.
Quando a tempestade passa, é hora de tirar a água de dentro do barco.
É hora de avaliar os danos, as avarias.
É hora de trabalhar.
Comecei a analisar nosso relacionamento e uma sensação de tranquilidade encheu meu coração.
Não é por que não deixamos mais bilhetinhos um para o outro, que o carinho, a atenção e o amor diminuíram.
Pelo contrário, aumentou. 
O demonstrar carinho e preocupação, atenção e amor para com o outro, absolutamente independe de palavras, sejam elas escritas ou ditas.
Ações falam mais que palavras.
Pelas ações, as palavras tomam forma.
E as ações se tornam palavras palpáveis.
O foco não é só o casamento, mas todos os tipos de relacionamentos humanos.
Você pode dizer "eu te amo" todos os dias, mas seu coração ser distante.
As palavras saem automaticamente, como uma reza sem propósito.
Você pode não dizer "eu te amo" todos os dias, mas em seu coração, todos os dias, bate um sentimento tão forte, que nada no mundo é capaz de deter o seu amor.
Um bilhetinho de amor não precisa ser escrito em um pedaço de papel.
Ele pode se materializar na forma de um abraço, de um beijo, de um carinho especial,
de atenção (ouvir também é manifestar amor).
Quando falamos de amor, quase sempre as palavras pecam por não poder expressá-lo em sua plenitude.
Por isso, existe a vida...dia após dia aprendemos mais, sentimos mais, mudamos mais.
O amor é um presente.
Muitos apenas ganham o presente. 
Outros, o acolhem na alma. 
Esses são mais felizes que aqueles.

:DÉA ROS

0 comentários:

Postar um comentário