Pages

2 de nov de 2009

DE OLHOS ABERTOS :


Olhos abertos... pupilas dilatadas...
Como se visse o sol pela primeira vez
Vejo fortes reflexos de luz
A vida entrando com força sem medida...
Como se eu fosse um herói... um deus...
Reflexos me tomam completamente...
A luz entrando... imagino por um instante...
Que sou o centro do universo...
Que controlo o tempo... Que eu sou um astro...
Que eu sou o Sol, radiante, brilhante...
Sou quente... Sou luz... Sou vida...
E num instante fecho os olhos e o que posso ver?
Apenas escuridão...
Que sou apenas um verme...
Um ser sensivelmente Mortal...
Hoje existo, amanhã não.
Serei nada... nem mesmo a ausência de tudo.
Mas o que é tudo, palavra tão pequena
de abrangência imensurável?
Tudo é o mundo... tudo são os povos...
São os mares e são as espécies...
São as árvores e são esses poemas...
Tudo é o passado... é o presente...
E Tudo é o futuro...
Eu Sou um verme...
Amanhã não serei... jamais existirei...
Do Tudo o que mais vale é...
Fazemos parte de Tudo, fazemos Tudo ser forte e Tudo ser belo...
Vivemos com todos sentimentos... amanhã Tudo continuará... mais intenso.VALL

0 comentários:

Postar um comentário