Pages

14 de dez de 2010

UTOPIA DE MIM :DEA


Utopia


Utopia

Nosso primeiro encontro deverá ser assim,
Sentaremos num parque, bosque, um campo qualquer e conversaremos, horas e horas a fio, às vezes ficaremos meio sem fôlego, porque vamos emendar um assunto no outro e são tantos assuntos que ficaram assim interrompidos, com algo a mais para dizer. Mas não só por isso, porque ainda existem tantos assuntos que nem iniciamos e também gostaríamos de falar. E também pelo motivo mais dolorido, por não sabermos se haverá outro encontro, se o primeiro não será também o único, o último. Mas será bom, isso eu sei, algumas vezes quando o assunto tomar aqueles rumos que vez em quando entristecem a gente, pegarei tua mão, e ficarei com ela assim, entre as minhas, até que a tristeza se dissipe, algumas vezes acredito que me abraçarás, talvez para me consolar de coisas há muito passadas, ou de temores que tenho em relação ao futuro. E ficarei assim, aconchegada em teus braços por um tempo, aproveitando aquela sensação que o mundo é bom, é tranquilo. Com certeza farei carinho em teus cabelos, porque todos sabemos, é tão bom ter o cabelo acariciado, e sei também que secarás as lágrimas de minha face, as lágrimas que correrão em nossas faces, porque muitas vezes choraremos de tanto rir. Será assim nosso primeiro encontro, mas haverá também aqueles momentos de silêncio, onde não teremos coragem de falar o que gostaríamos, o que pensamos, e nesses momentos nos restará o instante mágico dos apaixonados, nossos olhos se encontrarão, e todas as palavras não ditas, as verdades negadas, serão lidas ali, através de nossos olhos em nosso coração.
Será um encontro mágico, onde tentaremos de todas as maneiras impedir que o tempo passe, segurar em nossas mãos as horas, os minutos, os segundos, para impedir que aquele momento acabe.
Mas como essas são coisas impossíveis, o dia aos poucos irá chegando ao fim, e então seremos obrigados a começar a nos despedir, e nos despediremos tantas vezes, tantos tchaus nos daremos, na tentiva que o último não doa tanto, não seja tão dolorido.
Mas que inocência a nossa, talvez se nos despedirmos assim de uma só vez, doerá menos, mas como saber não é mesmo? Se nossa intenção na verdade é que aquele encontro não acabe, que aquele dia tivesse tantas horas quanto gostaríamos, se possuímos aquela imensa vontade de parar o tempo.
E a noite, que naquele dia consideraremos nossa inimiga começará a cair sobre nós, e então não poderemos mais negar, teremos de voltar a nossas vidas.
Nos levantaremos devagar, talvez pela última vez eu pegue tua mão e a coloque entre as minhas, talvez naquele momento mágico que a noite começa a vencer o dia, talvez eu te beije, talvez tu me beijes, não sei.
Mas espero que nos beijemos, para selar o nosso primeiro, último encontro, espero que seja assim, um encontro mágico selado com um beijo para nunca mais esquecer. E então nos afastaremos, guardaremos na lembrança esse encontro, seguiremos nossas vidas, e então será assim.
Continuaremos a viver, eu cheia de ti, tu cheio de mim.

0 comentários:

Postar um comentário