Pages

14 de dez de 2010

QUANDO TUDO TERMINA:DEA

Tudo Termina



Tudo Termina

Existem momentos que doem na gente tão profundamente que fica dificil entender.
Momentos assim que se pensa na vida, onde tudo é estranho, onde nada se explica.
Algumas palavras que se jogam ao vento e ficam perdidas, se tornam lamentos.
Existem momentos em que eu não queria ser eu, queria ser diferente, ser outra pessoa, estar bem longe de mim.
Momentos estranhos que chora minha alma, que dói o meu peito, momentos de fim.
Não importa que seja o fim de algo que nem teve começo, que tenha sido estranho pra mim.
Mas o que faço agora, como consolo meu peito e como eu digo a minha alma. - Não chora, não chora.
Como eu digo pro meu coração. - Fica tranquilo, isso passa, por um tempo vai ficar a saudade, o silêncio, dias mais tristes, horas mais longas, mas não será sempre assim.
Como eu faço, como explico tudo isso pra mim?
Eu não sei, nem entendo, era tudo tão bonito, tão doce e ficou tão amargo no fim.
Mas vou juntar os pedaços de mim, vou sair caminhando e encontrar cada caco da alma partida que chora um amor sem começo, mas cheio de fim.
Vou consolar meu coração, vou voltar a ser eu, reencontrar a razão.
E o tempo, esse remédio estranho que cura as feridas, que conserta os erros, que lava a alma, que sossega o peito, vai ser o companheiro nesta jornada, vai andar de mãos dadas comigo ao longo da estrada, e secar minhas lágrimas, e curar minhas chagas.
E assim devagar e com calma, com sossego e paciência tudo volta ao normal, há de ficar sempre a marca, o espaço vazio, mas um dia se transformará em lembrança o sentimento que foi muito pra mim.
Agora é a hora da despedida, de voltar a minha vida e pensar só em mim.
E as lágrimas, hora, essas já secam, poetas não choram, transformam em poemas os amores e as dores que a vida lhes dá em momentos assim.

0 comentários:

Postar um comentário