Pages

17 de jul de 2010

APRENDI A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO:DÉA

SEM FORÇA PARA CONTINUAR "A juventude não foi feita para o prazer, mas para o desafio" - Paul Claudel Estas palavras de Claudel me forçaram a pensar longamente, ora na ausência de propósito dos jovens para encararem os desafios que estão adiante, ora no desânimo dos mais velhos por não terem conseguido enfrentar e vencer os desafios da sua geração. Entendi que se há algo que todos nós temos que aprender a lidar é com o desânimo, o desapontamento e a falta de estímulo para continuar combatendo valentemente a cada dia. O ministério pastoral tem me forçado a lidar diariamente com gente desanimada. Houve um tempo em que cheguei a imaginar que a minha principal função seria a de encorajar pessoas. Cada vez que cumprimentava alguém, notava um cansaço na voz, um ar impróprio no olhar e um semblante que revelava um nítido abatimento, o que me ensinara outra lição: quase ninguém lida adequadamente com desapontamentos, perdas, fracassos ou simplesmente com aqueles dias que se quer apenas ficar sozinho, pensar e dormir um pouco. Ninguém consegue viver 365 dias por ano motivado, e isto não é falta de fé ou uma espiritualidade mal construída. É apenas humano. Ciclos bioquímicos; a vida como ela é; conflitos inesperados; perdas inevitáveis; tudo isto junto pode cooperar para uma sensação ruim de falta de estímulo. Se você se sente ou já se sentiu assim alguma vez, gostaria de compartilhar algumas coisas que aprendi: 1. APRENDI QUE ISTO PASSA É como uma tempestade de verão ou um ciclone extratropical, não podemos negar sua violência - os ventos fortes, os trovões, a chuva abundante - mas, no dia seguinte, o sol nasce, a paisagem revela o acontecido e a vida segue. Estes dias meio nebulosos, cinzentos, que parecem vazios de significado, passam. Não acredite que a vida possa ser definida nos extremos das emoções humanas. Nós temos esta tendência, mas ela não é razoável. A vida não é a euforia de alguns instantes, imortalizados em fotos e outros registros, como também não é o desânimo do chamado "dia mau". A vida é uma combinação de momentos, uma mescla de fogos de artifício e quartos escuros. Quem compreender bem essa oscilação, vai conseguir sobreviver no "vale da sombra da morte" e saberá encontrar abrigo seguro quando tiver que passar por ele.
1. APRENDI QUE ISTO PASSA

É como uma tempestade de verão ou um ciclone extratropical, não podemos negar sua violência - os ventos fortes, os trovões, a chuva abundante - mas, no dia seguinte, o sol nasce, a paisagem revela o acontecido e a vida segue. Estes dias meio nebulosos, cinzentos, que parecem vazios de significado, passam. Não acredite que a vida possa ser definida nos extremos das emoções humanas. Nós temos esta tendência, mas ela não é razoável. A vida não é a euforia de alguns instantes, imortalizados em fotos e outros registros, como também não é o desânimo do chamado "dia mau". A vida é uma combinação de momentos, uma mescla de fogos de artifício e quartos escuros. Quem compreender bem essa oscilação, vai conseguir sobreviver no "vale da sombra da morte" e saberá encontrar abrigo seguro quando tiver que passar por ele.

2. APRENDI QUE DEUS ESTÁ SEMPRE PRESENTE

Outra terrível sensação naqueles dias em que achamos não reunir forças para continuar, é o falso sentimento da ausência completa de Deus. Ele não desaparece no meio da borrasca, quando a embarcação fica fora de controle e ao sabor dos ventos e correntes. Nós é que não o vemos, não o notamos, não o percebemos. Esteja certo de que Deus jamais se retira. Acredite! Da próxima vez que você passar uma experiência assim, feche os olhos, reafirme sua fé e confiança. Logo notará algo diferente.

3. APRENDI QUE O SEU PODER SE APERFEIÇOA NA FRAQUEZA

Já vivi muitos dias ruins, dias em que sequer reunia forças para cumprir as minhas obrigações. Neles, a fraqueza foi minha companheira, incômoda e indesejável companheira. Todos querem prosseguir viagem acompanhados de força e poder. Acreditam que serão invencíveis se exibirem uma aparência constante de vitória e determinação. Pobres criaturas, não se dão conta de que gente precisa de gente. Gente precisa saber que lida com gente, que sua, cansa, geme, chora, sorri, ama, sonha; tem fome, sede, necessidades, carências; que não tem vergonha de ser humano. Foi assim que Deus se quis parecer na pessoa de Jesus.

Descobri que o poder de Deus não está nos estereótipos exagerados e mentirosos de "sempre em vitória". O poder está em ter coragem de admitir a fraqueza, de não ter que escondê-la e de reafirmar fé quando a força é posta em dúvida. É nesse momento que crescemos, que damos a Deus a oportunidade de agir.

4. APRENDI A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO

Parece que os momentos difíceis nos roubam as forças até mesmo para orar. Descobri outros caminhos para ter comunhão com Deus. Aprendi nos vales escuros da minha vida a sobreviver ao que João da Cruz chama de "noite escura da alma". Aprendi a orar com frases curtas; a ficar calado e permitir que o Espírito Santo compreendesse e traduzisse meus sentimentos; a ler os Salmos meditativamente; a recitar as orações de outros; a buscar e gostar da solitude. Aprendi a ser reconstruído nestes momentos; a não temer o arrependimento; a chorar sobre a minha pecaminosidade e a clamar por socorro. Como Deus vem me ajudando nos meus dias maus!

Você está sem força para continuar? Então está exatamente no lugar certo para aprender a mais importante de todas as lições: a ser humilde. Reconheça a sua fraqueza. Reconheça a sua condição. Aceite que é filho de Deus. Não se debata, não se justifique, não finja, pois "Deus é o seu refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas horas da angústia".

Em Cristo

Pr. Weber

0 comentários:

Postar um comentário