Pages

5 de dez de 2009

DEVANEIOS:



Que força é esta que me arrasta e me leva a buscar e trazer à mente lembranças de um tempo vivido!
Lembranças de um amor que eu pressupunha esquecido! Lembranças de você... de histórias passadas.
No meu devaneio, chego quase a te tocar, te vejo sorrindo a me olhar, te sinto me amando.
Apaixonada que eu era ,em ti neste momento tento encontrar o conforto num beijo, o prazer no toque das mãos.
Deitado ao meu lado, rolamos no chão, te ouço cantando a nossa canção:

"Teu corpo, menina, em mim principia o amor, o desejo, te quero, te olho, te beijo. Menina...menina dos olhos de luz que pra mim irradiam ternura e paz!"

Ah... ! Esta nossa canção, aquele verão,como tudo foi bom! Nossos corpos tremiam, gritavam mais alto que tudo; os olhos brilhavam, a paixão que envolvia ao amor conduzia o abraço apertado.
Retomo a razão, o medo me invade.... te olho assustada, mas te quero te beijo, te empurro e novamente me agarro em tuas mãos e me deixo levar pelo amor sem razão, apenas... emoção.
São somente lembranças daquele verão, dos nossos ternos momentos de grande paixão.
Me perco em meu mundo e novamente te vejo, te beijo, ficar junto a ti ainda desejo.
E aquela canção?

"Tens a beleza e a graça da rosa, este doce momento me imortaliza; teu nome, menina, em mim principia o amor, o desejo. Te olho... te beijo.

Hoje! A graça da rosa já não mais existe, apenas o desejo do amor realizar sufocado no peito ainda quer te buscar.
Os anos passaram e as lembranças ficaram e, em mim, a esperança de ver renascer aquele verão.
Novamente te vejo, te beijo e estendo a mão. Por quê estas lembranças sem permissão inavadem e me roubam a razão!
E assim vou vivendo, nas minhas lembranças... é bom te guardar!


0 comentários:

Postar um comentário